Uefa define data para analisar caso de gritos racistas na Bulgária

Comissão disciplinar da Uefa examinará atitudes racistas





Um procedimento foi aberto anteontem por "comportamento racista", devido aos "cantos e saudações nazistas" proferidos pelo público búlgaro durante a partida das eliminatórias para a Eurocopa-2020, vencida por 6 a 0 pela Inglaterra. Parte do público presente no estádio Vasil Levski, da capital búlgara, gritou contra os jogadores negros da seleção inglesa. Em duas ocasiões, o árbitro interrompeu a partida.


Na terça, o presidente da Federação Búlgara anunciou sua demissão; os ingleses pediram à Uefa "fortes sanções". Para a federação, a sanção mínima em caso de ato de racismo é de fechamento parcial ou completo do estádio. Recentemente, a comissão de disciplina da Uefa condenou Hungria e Romênia a disputarem uma partida com portões fechados devido a comportamentos racistas de uma parte de sua torcida. Hoje, o presidente da Fifa, Gianni Infantino, defendeu uma proibição em nível mundial de acesso a estádios para os torcedores culpados de atos racistas.