Machado de Assis e a literatura negra são discutidos na Bienal do Livro do Rio

A 19ª edição da Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro acontece até o dia 8 de setembro e reúne mais de 300 autores para sessões de autógrafos, bate-papos e discussões, entre elas a literatura negra.


A programação inclui o painel “Machado de Assis e a Literatura Negra Café Literário”, com Conceição Evaristo, José Almeida Júnior e Eduardo de Assis Duarte. Sob o mote de uma campanha pelo resgate da negritude de Machado de Assis, os escritores convidados debatem com a mediadora, a jornalista Simone Magno, a importância e o impacto dessa questão na obra do escritor. O café literário sobre Machado de Assis está programado para o dia 7 de setembro, às 11h. Saiba mais no site do evento.


A reafirmação de Machado de Assis como um escritor negro tem se intensificado recentemente e foi impulsionada por uma ação promovida pela Iniciativa Empresarial pela Igualdade.


Machado de Assis Real

O Festival Internacional de Criatividade de Cannes de 2019 reconheceu a ação Machado de Assis Real, promovida pela Iniciativa Empresarial em parceria com a Faculdade Zumbi dos Palmares. O principal autor brasileiro é negro, porém ao longo da história foi retratado de forma embranquecida. O movimento Machado de Assis Real atualizou o retrato do escritor para corrigir esse erro histórico, conseguindo compartilhar com a população a verdadeira imagem do autor e atualizar seu retrato na Academia Brasileira de Letras, instituição fundada pelo próprio Machado de Assis.